10 vilãs inesquecíveis das novelas brasileiras

TV Globo – Divulgação


 

Da redação SICOM-PET, Wesley Anjos

 

A telenovela sempre foi um formato de narrativa que agradou a uma grande parcela do público brasileiro. Muitas produções, como Escrava Isaura, não fizeram sucesso só aqui, como foram vendidas para mais de cem países. Se por um lado estas tramas costumam valorizar a jornada de uma mocinha ou mocinho, geralmente são as vilãs e vilões que roubam a cena e empolgam mais. Por isso, trazemos aqui uma lista com vilãs que marcaram época e divam até hoje nos memes.

 

1 – Maria de Fátima (Glória Pires)

TV Globo - Divulgação
TV Globo – Divulgação

Uma das grandes vilãs de Vale Tudo (1988), Maria de Fátima deu um golpe na própria mãe, Raquel (Regina Duarte), vendendo a casa onde moravam no Paraná. Após sumir para o Rio de Janeiro e deixar Raquel na pior, ela passou a viver para se dar bem às custas dos outros. O seu embate com a própria mãe foi o fio condutor da novela. Cá entre nós, ela sabia jogar sujo.

 

2 – Odete Roitman (Beatriz Segall)

TV Globo - Divulgação
TV Globo – Divulgação

Outra grande vilã de Vale TudoOdete, é outra que fez o possível para infernizar Raquel. Não deve ser nada fácil ser mocinha honesta em um mundo em que tem duas vilãs contra ti. Mas, como não é uma lista sobre mocinhas, vale ressaltar que Odete queria afastar Raquel de perto do marido da sua filha. Ela odiava o Brasil e fazia questão de zombar de pobre. Com um currículo desses, não é à toa que foi assassinada no final e deixou o mistério do “quem matou?” (na época isto fez muito sucesso, mas hoje em dia o recurso é tão clichê, batido e sem criatividade quanto quem reclama de beijo gay).

 

3 – Perpétua (Joana Fomm)

Gif Board - Reprodução
Gif Board – Reprodução

Perpétua era a carola do mal de Tieta (1989), novela baseada no romance de Jorge Amado. Falsa-moralista, fez várias intrigas contra a sua irmã Tieta (Betty Faria), que ao contrário dela, lutava pela sua liberdade como mulher e estava disposta a se vingar da família. Perpétua era uma grande hipócrita e adorava humilhar as pessoas. Inclusive, um dos grandes mistérios era o conteúdo que ela escondia em uma caixa. No final, pasmem, era o pênis do seu falecido marido!

 

4 – Branca (Suzana Vieira)

Buracoon - Reprodução
Buracoon – Reprodução

Personagem de Por amor (1997), Branca é uma das vilãs mais sem papas na língua da história. Riquíssima, ela chegou a passar fome no passado, mas ascendeu socialmente movida pela sua ambição. É justamente a sua ambição que faz desprezar dois de seus filhos e ter uma fixação por apenas um deles: Marcelo (Fábio Assunção). Quando Marcelo se apaixona por Maria Eduarda (Gabriela Duarte), garota pobre que ela desaprova, ela declara guerra à moça e à sua mãe Helena (Regina Duarte).

 

5 – Laura (Cláudia Abreu)

TV Globo - Divulgação
TV Globo – Divulgação

Laura, a cachorra, como era chamada pelo seu namorado, o qual apelidou carinhosamente de michê em Celebridade (2003), era o grande trunfo da novela. Ela destruiu  e roubou tudo o que a mocinha Maria Clara (Malu Mader) possuía. Inicialmente, a sua motivação era por acreditar que Maria Clara foi a responsável pela morte da sua mãe. Ela desenvolveu uma obsessão tão grande pela rival, que mesmo após descobrir a sua inocência, não lhe deu paz. Na época, a cena do acerto de contas entre as duas bombou.

 

6 – Nazaré Tedesco (Renata Sorrah)

Tumblr - Reprodução
Tumblr – Reprodução

Nazaré, Naza ou Nazaranha é uma das vilãs mais queridas da história da telenovela brasileira. Dona de uma autoestima inquebrável, o seu fetiche era matar pessoas empurrando-as de sua escada de estimação. No passado, roubou a filha de Maria do Carmo (Suzana Vieira), com quem teve grandes embates. Possuidora de um senso de humor absurdo, ela conseguiu ser querida mesmo com as atrocidades que cometeu em Senhora do Destino (2004).

 

7 – Cristina (Flávia Alessandra)

Tumblr - Reprodução
Tumblr – Reprodução

A grande vilã de Alma Gêmea (2005), ela tinha um amor doentio por Rafael (Eduardo Moscovis), a ponto de arquitetar a morte da sua noiva Luna (Liliana Castro) no dia do seu casamento. O que ela não imaginava é que logo após levar um tiro no peito, Luna reencarnaria e retornaria como Serena (Priscila Fantin). O reencontro com a rival não foi nada fácil para a megera.

 

8 – Flora (Patrícia Pillar)

TV Globo - Divulgação
TV Globo – Divulgação

Com esta carinha de anjo, no início de A favorita (2008), ela parecia só mais uma mocinha clichê, vítima de uma armação, a qual lhe custou dezoito anos dentro da prisão. A grande reviravolta foi que ela era realmente uma assassina e o seu verdadeiro objetivo era se vingar da verdadeira mocinha: Donate Fontini (Cláudia Raia). Uma sociopata, ela se mostrou uma máquina de matar e coitado de quem cruzasse o seu caminho.

 

9 – Yvone (Letícia Sabatella)

Gif Soup - Reprodução
Gif Soup – Reprodução

Vilã de Caminho das Índias (2009), ela era uma psicopata movida pelo prazer de enganar pessoas e se dar bem às custas delas. Por se tratar de uma novela com muitos personagens e núcleos, neste caso, ela nunca cruzou com a mocinha Maia (Juliana Paes), para a sorte de Maia. Durante a trama, ela roubou o marido da sua amiga Silvia (Débora Bloch), forjou a falsa morte dele e, em seguida, aplicou-lhe um golpe. Além de ficar com uma mão na frente e outra atrás, ele sequer podia fazer uma denúncia, pois, teoricamente, estava morto.

 

10 – Carminha (Adriana Esteves)

Tumblr - Reprodução
Tumblr – Reprodução

Em Avenida Brasil (2012), ela deu um golpe no pai de Rita (Mel Maia) e ainda jogou a menina em um lixão. Não bastasse isso, ela enganou o jogador de futebol Tufão (Murilo Benício), fazendo-o assumir a paternidade dos filhos do amante dela, que, por acaso, ela fez casar com a sua cunhada. O que Carminha não podia imaginar é que a menina voltaria como Nina (Débora Falabella), com sede de vingança. Apesar de todas as maldades que fez, ela seguiu sendo amada pelo público. Disputa pau a pau com a Nazaré  o posto de vilã que divou mais.


 

Veja também:

Wesley Anjos

Jornalista em formação, escritor e ator nas horas vagas. Típico amante das artes, é viciado em fabular e beber mate, não necessariamente nesta ordem.

Deixe uma resposta