A Branca de Neve e os Sete Anões completa 75 anos

Da Redação SICOM PET, por Marjory Kumabe

O ano de 1937 foi um marco na história da animação. Até então, nunca se tinha pensado em um filme de longa-metragem animado. Não apenas por ninguém ter tido a ideia, mas por ser inviável. Não se acreditava que fosse possível um desenho animado de 83 minutos prender a atenção do público e ser tão envolvente quanto os filmes “live-action”. Foi quando o Walt Disney Studio teve a coragem de lançar o primeiro desenho animado, baseado em um conto de fadas dos Irmãos Grimm.

A Branca de Neve e os Sete anões não só surpreendeu a todos, mas também foi premiado com um Oscar especial da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood.
O longa trouxe a tona um mercado inexistente até então. Inovou, foi um enorme sucesso de crítica e de público. Esse sucesso rendeu muitos projetos posteriores como Pinóquio (1940), Dumbo (1941), Bambi (19420, Cinderela (1950) e A Bela Adormecida (1959) e, em 1991, um longa animado foi pela primeira vez indicado ao Oscar de melhor filme: A Bela e a Fera. O cinema de animação ganhou seu espaço e se consolidou proporcionando grandes sucessos. Se hoje vemos obras primas como “Wall.E” e “Toy Story” é porque a Walt Disney teve coragem de arriscar e provar que todos estavam errados há 75 anos atrás.

Deixe uma resposta