A importância do PET – RTV no Crescimento do Universitário

A interação de quase todos os cursos da FAAC é um dos fatores mais importantes para a formação dos participantes do projeto.

Da Redação SICOM – PET, Sillas Carlos

A busca por projetos de extensão ao entrar na universidade é bem comum. A possibilidade de complementar e, em alguns casos, preencher lacunas deixadas nas atividades em sala de aula são um atrativo para quem entra na faculdade visando a mais completa formação possível.

Por isso é muito fácil encontrar um estudante do primeiro ano da faculdade se inscrevendo em uma dúzia de projetos ao mesmo tempo, comigo não foi diferente. Ao entrar na Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação (FAAC), comecei a me inscrever em inúmeros projetos de extensão e fui selecionado para praticamente todos: Rádio Virtual, Empresa Jr, Agência de Propaganda e o PET-RTV.

Hoje, no quarto ano da faculdade, me mantenho ligado apenas ao PET – RTV, e convenhamos, quatro anos é tempo suficiente para perceber a importância do programa na minha formação.

Gravação Programa Guerra das Décadas (Foto: Acervo Pessoal)
Gravação Programa Guerra das Décadas (Foto: Acervo Pessoal)

As experiências proporcionadas pelo PET-RTV durante esses 4 anos, renderiam diversos textos para explanar todo aprendizado adquirido, desde o envolvimento com a comunidade, mobilização e o envolvimento político do projeto até a atuação deste na tríade “pesquisa, ensino e extensão” da universidade. Mas hoje vamos destacar apenas a principal característica do projeto, a interdisciplinaridade.

Além da oportunidade de participar dos projetos ComunicaNER e Laboratório Audiovisual, tive a oportunidade de participar da primeira reunião que deu inicio à discussão do Plano Político Pedagógico (PPP) do curso de Rádio e TV. Fazer parte do PET-RTV, me ajudou a ter uma nova visão sobre a minha formação, principalmente no que diz respeito à relação com os outros cursos da universidade. Atualmente, o grupo conta com alunos de Rádio e TV, Jornalismo, Design, Relações Públicas e Artes Visuais. No entanto o grande diferencial do projeto não é apenas a pluralidade de áreas envolvidas, mas o incentivo à troca de experiências e conhecimentos entre elas.

13625201_10209705881546505_257631331_n
Gravação ComunicaNer – Projeto PET – RTV (Foto: Acervo Pessoal)

Desde que passei a integrar o PET-RTV, convivi com pessoas de outros cursos que me ensinaram muito sobre as outras profissões da área de comunicação.  O fato de não convivermos diretamente com estudantes de outros cursos durante a graduação, comumente nos leva a simplificar o oficio de outras profissões diferentes da nossa. Sem alguém para nos dizer a profundidade de sua atuação, é fácil para nós cairmos no erro de uma interpretação rasa das atividades desenvolvidas pelos outros.

Pois foi justamente esta simplificação que o PET-RTV me fez rever.  Após uma série de oficinas e atividades que visavam integrar os participantes e trabalhar a interdisciplinaridade do grupo, concluí que:

 

      1. Rádio e TV não faz apenas vídeos;
      2. Jornalismo não faz apenas notícias;
      3. Design não faz apenas logotipos;
      4. Relações Públicas não faz só eventos;
      5. Artes Visuais não faz só quadros bonitos;

 

13672263_10209705881786511_911801680_n
Momento de reflexão sobre as demais profissões (Foto: Acervo Pessoal)

É claro que essas profissões também realizam essas atividades, mas restringir o trabalho destes profissionais a elas é ignorar um imenso leque de incumbências que muitas vezes é o responsável pela intersecção na atuação destes cursos. Quanto mais nos abrimos a aprender com os outros, mais entendemos o quanto estas áreas estão interligadas e podem facilmente se complementarem. Deste modo, caímos em uma lógica enriquecedora na qual, quanto mais conhecemos a profissão do colega, mais completa se torna nossa própria formação como comunicadores.

Se você quer saber mais sobre o PET-RTV, pode me ver atuando em um desses vídeos que explica o projeto:

E para saber ainda mais, você pode ler um pouco sobre nossos projetos aqui, aqui e aqui.

 

Deixe uma resposta