Conheça a história do Dia Internacional da Animação e acompanhe dicas para assistir no feriado

A data comemora a primeira projeção pública de imagens animadas

Da redação SICOM-PET, Laura Fontana e Mariana Mesquita

Dia 28 de novembro comemora-se o dia interncaional da animação!
Dia 28 de novembro comemora-se o dia interncaional da animação!

Em 2002, a ASIFA (Associação Internacional do Filme de Animação) criou o “Dia Internacional da Animação”. A data foi escolhida pois em 28 de outubro de 1892, Emile Reynaud exibiu seu filme Pauvre Pierrot (Pobre Pierrot, em português) em seu teatro óptico no museu Grevin, em Paris. A animação abriu  caminho para que artistas como os norte-americanos Walt Disney e Walter Lantz, e como os japoneses Isao Takahata e Hayao Miyazaki, inovassem em técnicas de filmagem. Atualmente a animação pode ser considerada um dos gêneros mais rentáveis do cinema.

Teatro óptico de Émile Reynaud (Foto: creative commons)
Teatro óptico de Émile Reynaud (Foto: creative commons)

No Brasil, no dia 28 de novembro ocorre o evento DIA – “Dia Internacional da Animação”  que está em sua 12°edição, sendo realizado pela ABCA (Associação Brasileira de Cinema de Animação). A data ganha cada vez mais visibilidade por todo o Brasil, e esse ano mais de 200 cidades de todo o país participaram da comemoração, sendo o maior evento simultâneo de animação realizado. Na última quarta-feira, foi possível participar de mostras oficiais em todos os 26 estados.

Walt Disney, grande nome da animação mundial (Foto: creative commons)
Walt Disney, grande nome da animação mundial (Foto: creative commons)

A história da animação no Brasil é relativamente recente. Na primeira metade do século XX foram produzidas algumas pequenas experiências em animação sem muita continuidade, como as realizadas por Eugênio Fonseca Filho. Já na década de 50, o carioca Anélio Latini Filho, admirador da obra de Walt Disney, escreveu e produziu ‘Sinfonia Amazônica”, o primeiro longa-metragem de animação do país, realizado entre os anos de 1946 e 1953. Além de criar 500 mil desenhos de cenários e personagens sozinho, o artista desenvolveu uma técnica própria de sincronização de som e imagem.

Encarte do filme "Sinfonia Amazônica" (Foto: divulgação/creative commons)
Encarte do filme “Sinfonia Amazônica” (Foto: divulgação/creative commons)

Sobre qual seria o primeiro longa-metragem colorido de animação produzido no país existem algumas divergências. “Piconzé” estreou nos cinemas em 1973, feito pelo japonês Ypê Nakashima, que imigrou para o Brasil em 1956 e trabalhou com animação publicitária. No Rio de Janeiro, em 1965 o desenhista Wilson Pinto animou e dirigiu, em parceria com Wanda Latini, irmã de Anélio Latini, o filme “Um Rei Fabuloso”, encomendado pela Petrobrás. A animação narrava a história do petróleo e foi exibido por décadas em escolas de todo o país.

Esboço dos desenhos do cartunista e animador japonês Ypê Nakashima durante a produção de "Piconzé" (Foto: creative commons)
Esboço dos desenhos do cartunista e animador japonês Ypê Nakashima durante a produção de “Piconzé” (Foto: creative commons)

Outra animação marcante para os brasileiros foi “Presente de Natal”, produzido pelo amazonense Álvaro Henrique Gonçalves sem incentivo de qualquer empresa ou governo. Álvaro começou a produzi-la em 1965 e a finalizou em 1971. O artista levou a animação pronta a um produtor paulista e não obteve sucesso. Então voltou a Manaus onde seu filme foi exibido e teve grande repercussão no Brasil.

Após o sucesso imediato dos quadrinhos da Turma da Mônica na década de 70, logo foi produzida uma animação baseada nos personagens. No começo os personagens apenas apareciam em comerciais da empresa Cica como garotos propaganda até o lançamento do especial de televisão “Feliz Natal pra Todos”, de 1977. Em 1982 foi lançado o primeiro longa-metragem chamado”As Aventuras da Turma da Mônica”, produzido pela Maurício de Sousa Produções, em parceria com a Black&White&Color.

Recorte da animação "Um feliz natal a todos", protagonizada por personagens da Turma da Mônica (Foto: creative commons)
Recorte da animação “Um feliz natal a todos”, protagonizada por personagens da Turma da Mônica (Foto: creative commons)

Já na década de 90, o estúdio NBR Filmes, do animadorClóvis Vieira produziu o primeiro longa-metragem de animação feito inteiramente com recursos da computação gráfica, o filme Cassiopéia, em 1996.

Recorte da primeira animação brasileira feita inteiramente por recursos da computação gráfica, "Cassiopeia" (Foto: creative commons)
Recorte da primeira animação brasileira feita inteiramente por recursos da computação gráfica, “Cassiopeia” (Foto: creative commons)

Alguns outros exemplos de animações brasileiras são “Antunes e Bandeira”, a personagem Kika de “De Onde vem?” e “Os Carrinhos”. Produzido pela Quadro Produções, “Antunes e Bandeira” conta a história de um tamanduá e uma anta que investigam histórias e participam de aventuras divertidas. Por produtores independentes, “As Aventuras de Gyu&Estopa” foi produzido na década de 90 e também marca presença na linha do tempo da animação nacional. Já nos anos 2000, foi exibida na TV Cultura a animação “De onde vem?”. O desenho esclarecia dúvidas corriqueiras de crianças, explicando de uma forma didática assuntos como eletricidade, produção de vidros e raios. 

Já se passaram 123 anos desde a primeira projeção da animação de Reynaud, e o cenário desse gênero se transformou. Animações de alcance mundial, desde Mickey Mouse até Frozen – Uma Aventura Congelante (maior bilheteria da história da animação) trouxeram diversas temáticas, técnicas e estilos encantadores para seu o público. Com isso, fica a dica de animações para vocês conhecerem:

  1. Pauvre Pierrot, de Emile Reynaud, 1892. – Primeira animação da história.
  2. O Cão e a Raposa, de John Lasseter, 1981. – Última animação em VHS da Walt Disney.
  3. As Aventuras da Turma da Mônica, de Mauricio de Sousa, 1982. Primeira animação de um dos maiores nomes da área no país.
  4. O Garoto Cósmico, de Sabina Anzuateui, Daniel Chaia e Gustavo Kurlat, 2009. Melhor longa metragem de animação brasileira, pela Academia Brasileira de Cinema.
  5. Operação Big Hero, de Don Hall, 2015. Mais do que indicada, a animação foi elegida a melhor no Oscar 2015.

Confira o trailer de Operação Big Hero:

 

Deixe uma resposta