home Bauru, PET/RTV Expressão Poética: uma história sobre a cultura em Bauru

Expressão Poética: uma história sobre a cultura em Bauru

Escritora e uma das idealizadoras do Expressão Poética, Ana Maria Barbosa Machado conta como surgiu o grupo que reúne pessoas apaixonadas por poesia

 

Da redação SICOM-PET, Daniele Fernandes Wesley Anjos

Bauru completou 121 anos de existência como município no dia 1 de agosto. Mas, como há tantas esferas possíveis de observação da sua história, no dia de hoje vamos falar sobre cultura. Para sermos mais específicos: literatura. E é justamente por se destacar quanto a isso, que vamos falar sobre o Expressão Poética, que hoje completa 18 anos de existência e lança uma antologia especial com produções do grupo.

O livro será lançado hoje no Teatro Municipal às 19h30 (Foto: Reprodução/ Página do Expressão Poética no Facebook)

No início deste ano, conversamos com a escritora Ana Maria Barbosa Machado para a confecção de um suplemento cultural de um trabalho acadêmico na Unesp. Logo de cara, a escritora nos contou que começou a escrever com 20 anos, isto na década de 80. Neste escreve-escreve, ela passou a participar de concursos e antologias.

Quem diria que em um destes concursos, mais precisamente em 98, Ana conheceria um rapaz que acrescentaria muito à sua trajetória. Este rapaz era Vagner Santos. “Ele tinha vontade de agrupar as pessoas que faziam poesia. Então, a gente começou a fazer reuniões no SESC”. Após esta reviravolta, em janeiro de 1999 passaram a fazer saraus no SESC com música, poesia, literatura e performances, já com o grupo Expressão Poética.

Alguns autores da antologia que será lançada hoje (Foto: Reprodução/ Página do Expressão Poética no Facebook)

Em 2000, passaram a fazer apresentações no auditório Ouvécio de Barros. Foi quando começaram a escrever antologias. “Após a terceira antologia em 2001, chamada ‘Retratos Poéticos’, coordenada por mim e em que fizeram parte 52 autores, nós demos uma paradinha e começamos a fazer saraus nas escolas. Havia professores no grupo interessados em despertar o interesse dos seus alunos pela poesia”. Dentro do Expressão Poética, Ana até hoje segue com trabalhos nas escolas para incentivar os estudantes a lerem.

Mas, se pensa que ela esqueceu dos bons e velhos saraus, comete um equívoco. “Nós também desenvolvemos saraus nos bares. No Exílio, por exemplo, desde 2014 a gente costuma fazer o “palabra, el mundo”, sempre no mês de maio por se tratar de um evento mundial, que busca dar espaço àquelas pessoas que têm poesias para expor, mas não onde expor.

Outra novidade que o grupo trouxe aos bares de Bauru foi o Slam, que é um concurso em que a pessoa tem um minuto para declamar uma poesia autoral e o público escolhe através de votação.

No encerramento da conversa, ao ser questionada se há requisitos para poder entrar no Expressão Poética, Ana respondeu com serenidade: “Não, é só você gostar de se manifestar com a sua poesia ou só você ter vontade de participar”.


Veja também:

 

Especial: um panorama da história de Bauru no dia do seu aniversário

 

Deixe uma resposta