GREVE CHEGA AO FIM NA UNESP DE BAURU

Imagem: CEUB Unesp Bauru – Divulgação

 

Da Redação SICOM-PET, Wesley Anjos

 

Nesta segunda-feira (05), as três categorias estarão de volta às suas atividades na Unesp de Bauru. Os servidores docentes já haviam suspendido a sua greve em assembleia que ocorreu no dia 18 de agosto.  Quanto aos servidores técnico-administrativos, a assembleia que suspendeu a sua greve foi no dia 01 de setembro. Já os estudantes, por sua vez, decidiram em assembleia que ocorreu no dia 02 de setembro. Somente o Movimento Estudantil (ME) teve pautas atendidas. 

 

Entenda a greve dos professores da Unesp de Bauru

 

 

Foram aproximadamente três meses de paralisação das atividades na universidade. Com o passar do tempo, as três categorias tiveram de lidar com um enfraquecimento dos seus movimentos. O ME ganhou um novo gás com a ocupação que se iniciou no dia 02 de agosto. Inicialmente nos espaços dos Centros e Diretórios Acadêmicos, a ocupação alcançou as salas 40s.

Das pautas exigidas pelos estudantes, após negociações com os diretores, foram aprovadas em reuniões do Grupo Administrativo do Câmpus (GAC), a construção de um novo bloco de moradia como prioridade no Plano Diretor da Unidade. Antes, a biblioteca seria a prioridade quando houvesse recursos. Além disso, os estudantes ganharam mais uma cadeira representativa no GAC. Vale ressaltar que o novo bloco só será construído quando a reitoria liberar verba para as obras.

 

Ocupação ocorreu entre as negociações. (Foto: Divulgação/ CEUB Unesp Bauru)
Ocupação ocorreu entre as negociações. (Foto: Divulgação/ CEUB Unesp Bauru)

 

No dia 01 de setembro, o ME teve uma reunião com Mário Sérgio Vasconcelos, representante da Coordenadoria de Permanência Estudantil (COPE) juntamente à reitoria. Pautas como moradia e Restaurante Universitário (RU) foram amplamente discutidas. Quanto ao aumento de refeições do RU, as discussões e negociações seguirão mesmo com o fim da greve.

Já as reinvindicações dos servidores por um reajuste de 12,4% correspondente à inflação e à reposição de perdas históricas não foi atendida. Esta pauta, só poderia ser aprovada pelo reitor Julio Cezar Durigan. Contudo, nenhum reajuste salarial foi dado, ao contrário da USPUNICAMP, que tiveram 3% de aumento.

 

Mais:

 

 

 

Wesley Anjos

Jornalista em formação, escritor e ator nas horas vagas. Típico amante das artes, é viciado em fabular e beber mate, não necessariamente nesta ordem.

Deixe uma resposta