Grupo Projetare faz oficina sobre lei Rouanet na Unesp

Da redação SICOM-PET, Catherine Paixão

Na última segunda-feira, 23, aconteceu a segunda parte da Oficina de Produção de Projetos para capacitação de recursos para lei Rouanet pelo grupo Projetare, Grupo de Estudos do PET – RTV. O encontro aconteceu na sala 71 das 17h às 19h e foi aberto a estudantes, professores, servidores da Unesp e todos produtores culturais e comunitários de Bauru e região. A primeira oficina aconteceu na segunda-feira, 17, no mesmo horário e sala.

A Lei Rouanet é utilizada para captação de recursos financeiros para projetos audiovisuais, culturais e educativos. Podendo ser utilizada tanto no âmbito universitário como em organizações sociais, culturais, coletivos e projetos de diversas áreas que envolvam criação.

Janaina sempre se interessou por projetos culturais e já trabalhou em duas produtoras que focavam em projetos para a Lei Rouanet. Foto: Catherine Paixão
Janaina sempre se interessou por projetos culturais e já trabalhou em duas produtoras que focavam em projetos para a Lei Rouanet. Foto: Catherine Paixão

As oficinas foram ministradas por Janaina L. Azevedo, aluna de Mestrado em Mídia e Tecnologia da Unesp, que trabalhou 5 anos diretamente na área. Na primeira oficina a palestrante introduziu alguns conceitos relacionados ao tema e logo depois, explicou o funcionamento da Lei Rouanet através de renúncia fiscal e dos incentivos para financiamento de projetos. A oficina contou com explicação das áreas de cobertura da lei, além de mostrar todas as instâncias que o projeto passa até chegar na permissão para a captação de recursos financeiro.

No segundo dia de oficina a palestrante aprofundou ainda mais a temática, e trouxe algumas informações importantes quanto ao que é permitido e o que é proibido quando se trata de lei Rouanet. Além disso, Janaina trouxe exemplos de como elaborar o “Pitch” de projetos, ou seja, uma curta apresentação do que se trata o projeto.

 

A recepção das pessoas foi bem positiva e o interesse pelo assunto era grande. Foto: Catherine Paixão
A recepção das pessoas foi bem positiva e o interesse pelo assunto era grande. Foto: Catherine Paixão

 

Segundo Janaina, palestrante do evento: “Mais do que instrumentalizar as pessoas na utilização das leis e na elaboração de projetos para submissão, é necessário criar oportunidades e estruturas para integrar a universidade e a comunidade”. A ideia do evento era gerar projetos de extensão que possam ser mantidos de forma efetiva e satisfatória com o financiamento obtido pela Lei Rouanet.

“Meu curso é um caldeirão fervilhante de ideias e projetos muito criativos. Aprender como captar recursos é a chave para que muitas destas ideias e projetos sigam adiante”, explica Leandro Freitas, estudante de Rádio e Televisão. Além disso, ele acrescenta que com isso, é possível em um futuro próximo estes projetos movimentarem e impactarem o mercado audiovisual.

 

Na primeira parte da oficina, a palestrante focou na importância de entender a lei e adaptar o projeto a ela. Foto: Catherine Paixão
Na primeira parte da oficina, a palestrante focou na importância de entender a lei e adaptar o projeto a ela. Foto: Catherine Paixão

 

“Muitos projetos produzidos na Universidade poderiam se desenrolar e gerar aplicações fora dela e na carreira de seus idealizadores, mas para empreender é necessário encontrar fontes de financiamento”, comenta Janaina. Para a palestrante, é nestes casos que a Lei Rouanet e outras formas de financiamento servem.

No dia 7 de dezembro também será oferecido pelo Grupo Projetare um evento sobre Pitch, que são pequenas apresentações para vender o projeto para o investidor ou cliente. As atividades do Projetare são gratuitas e têm emissão de certificados para os participantes. O grupo é aberto a todos estudantes de graduação. Para quem tiver interesse em participar, é só acessar a página do Facebook do Projetare.

 

Deixe uma resposta