Mobilização estudantil: Cobertura da Assembleia do dia 02/06/16

A reunião lotou mais uma vez o anfiteatro “Guilhermão”. (Foto: Daniele Fernandes)

 

Os Alunos de Graduação da Unesp de Bauru se reuniram para discutir as pautas do movimento estudantil

 

Da redação SICOM-PET, Daniele Fernandes

 

No dia 02 de junho, os alunos das três faculdades da Unesp Bauru se reuniram, após dois dias de paralisação, em uma assembleia que discutiria, entre outras coisas, a deliberação da greve estudantil.

Durante o encontro foi lida uma carta do Coletivo Feminista Abre-Alas, onde é repudiada a interrupção sistemática das falas femininas na assembleia, assim como reitera que a discussão do espaço de fala é uma pauta mínima do movimento. Outro assunto discutido foi a necessidade de trazer a população não ligada à instituição para o movimento, trazendo um maior entendimento da situação e dos motivos das medidas tomadas pela categoria.

As pautas mínimas foram discutidas e levadas para debates futuros, que acontecem durante a greve, nas dependências da Unesp.

 

Restaurante Universitário: Foi retomada a discussão sobre os problemas envolvendo o R.U. (Restaurante Universitário), do qual as pautas foram discutidas e postas para futura sistematização em outros eventos do Movimento. Os problemas discutidos foram a quantidade de refeições disponibilizadas, o sistema de compras online e a falta de serviço nos turnos da manhã e da noite.

 

Moradia Estudantil: Foi discutida a possibilidade de colocar a construção de um novo bloco da moradia como prioridade no plano diretor da Unesp e as necessidades dos alunos que já estão lá, como a iluminação no caminho Campus-Moradia.

Creche: Relacionado ao CCI, o centro de convivência Infantil, que atende Servidores, Professores e Alunos da Unesp que possuem filhos com até 6 anos, e que precisem do serviço para exercer suas funções na Faculdade. A creche enfrenta problemas com falta de funcionários e isso afeta a permanência dos estudantes que precisam desse auxílio.

Paridade: Essa pauta se refere à representação do corpo discente nos órgãos colegiados da Unesp. Outra discussão envolvida nesta pauta é a ocupação das cadeiras discentes nesses órgãos, ou seja, o engajamento dos alunos nas questões da faculdade.

 

O movimento busca uma maior participação dos estudantes. (Foto: Daniele Fernandes)
O movimento busca uma maior participação dos estudantes. (Foto: Daniele Fernandes)

 

Bolsas: O corte de bolsas dos alunos afeta não só planos da universidade de aumentar as ações afirmativas como também a permanência dos alunos que já estão na universidade e precisam desse auxílio. Assim as discussões giram em torno da diminuição dessas bolsas, tanto de permanência como de projetos de extensão.

Projeto de Universidade Pública: A discussão sobre essa pauta girou em torno do objetivo da universidade pública, como se inserir parcerias público-privada e se elas devem ser inseridas.

No fim foi votada a Greve com início imediato e a criação de comissões que organizem esse período de reivindicações, com programações diárias e que visam abranger as discussões e sistematizações das pautas do movimento e a conscientização da população.

Com a decisão dos alunos a Unesp conta com greve das 3 categorias. (Foto: Divulgação/ Portal Tribuna da Conquista)
Com a decisão dos alunos a Unesp conta com greve das 3 categorias. (Foto: Divulgação/ Portal Tribuna da Conquista)

Wesley Anjos

Jornalista em formação, escritor e ator nas horas vagas. Típico amante das artes, é viciado em fabular e beber mate, não necessariamente nesta ordem.

Deixe uma resposta