“Nunca estive satisfeita com meu corpo, nunca me senti completa nele” – diz Gabriela Gomes

Cena do filme “O Mínimo para Viver”. (Imagem retirada do canal da Netflix no youtube)


A Netflix traz filme sobre transtorno alimentar e apesar das polêmicas esse é um assunto que deve ser discutido


Da redação Sicom-PET, Gabrielli Silva

Estreou hoje, na Netflix, o filme O Mínimo para Viver, dirigido por Martin Nixon. O drama conta a história da jovem Ellen, interpretada por Lily Collins, que sofre com anorexia e é tratada por um médico fora dos padrões (Keanu Reeves) que, além dos tratamentos convencionais, utiliza outros meios para ajudar a moça a enfrentar seu transtorno. Transtornos alimentares são muito mais recorrentes do imaginamos mas não são devidamente discutidos pela sociedade, então procuramos uma psicóloga e pessoas que já tenham passado por isso para falar um pouco sobre o assunto.

A Psicóloga Clínica, Sílvia Helena Diegoli Machado, fez uma breve explicação do que são transtornos alimentares:

“são distúrbios psicológicos caracterizados por alteração no comportamento alimentar, que leva ao desenvolvimento de problemas físicos , bem como estresse emocional e social. Os quadros comuns são Anorexia e Bulimia. Atinge a idade da pré adolescência e adolescência principalmente, podendo se estender à vida adulta. Na Anorexia há a perda involuntária de peso, motivada por um desejo exagerado de emagrecer aliado a um medo intenso de engordar. Na Bulimia há repetidos episódios de comer compulsivo, acompanhados de uma sensação completa de perda de controle alimentar em que o paciente ingere compulsivamente grande quantidade de alimentos por um período curto de tempo. Após isso há a necessidade disfuncional de induzir vômitos ou utilizar laxantes e diuréticos”.

Sílvia Helena também enfatizou que, as causas para a manifestação desses distúrbios são diversas, mas, entre elas, há especialmente a valorização excessiva do padrão de beleza perfeito, fazendo com que a pessoa tente se encaixar e ser aceita pela sociedade de qualquer maneira. Através de depoimentos de quem já sofreu com esses transtornos fica evidente o quão prejudicial os padrões de beleza podem ser.

Gabriela Gomes, 19 anos, teve anorexia e está em tratamento, conta que sofria com piadas sobre seu peso durante a infância, mas que isso só começou a incomodá-la no primeiro ano da faculdade:

“Via meninas andando pelas ruas e a primeira coisa que pensava era que queria ser como elas, magras e bonitas. Comecei a me olhar no espelho e não ver mais a pessoa que eu via, sempre me via como alguém cheio de defeitos que deveria mudar”.



Luana Vigar, 18 anos, teve bulimia no início da adolescência e continua em tratamento. No começo tinha crises de refluxo que eram ligadas à ansiedade, mas depois um psiquiatra notou que ela também tinha transtorno de imagem e um medo inexplicável de engordar. “Uma coisa em que pensava muito era ‘não posso engordar’, mesmo sendo magra sentia a necessidade de estar no padrão, então era um medo forte, queria ser bonita”.

Quando questionada sobre o filme “O Mínimo para Viver”, que recebeu críticas por ser muito impactante, Gabriela diz que acha importante quebrar esse tabu e que mais pessoas falem sobre. “Acho que o filme vai ser como 13 Reasons Why (série da Netflix que estreou esse ano e também gerou polêmicas), é pesado mas tem que ser debatido, pois é uma realidade e talvez se debatêssemos mais, menos meninas e meninos sofreriam com isso”. Sílvia Helena afirma que:

“se a pessoa assiste e tem uma opinião crítica sobre o filme entendendo que não é real, não há problema nenhum. O problema é quando se identifica e só escolhe para entretenimento filmes desse gênero”.

Confira o trailer de “O Mínimo para Viver”:

Hoje, Gabriela diz que quer discutir mais sobre transtornos alimentares e ajudar, para que outras pessoas não passem pelo que ela passou e diz que já vê resultados no tratamento: “já vejo meu corpo de forma melhor, me sinto melhor dentro dele e bonita de verdade, como nunca me senti antes”.

 

Daniele Fernandes

Daniele curte filmes e séries cult, e quando diz cult quer dizer coreano ou comédia romântica de Hollywood. Possui profundo conhecimento em economia, sabendo administrar suas famílias no The Sims 4.

Deixe uma resposta