O fascínio pelos jogos on-line e pela realidade virtual

Lançado em 2003, o mundo virtual Second Life logo se tornou uma febre entre os internautas. Por meio de um personagem, conhecido como avatar, o game permitia que as pessoas vivessem em um sofisticado mundo digital paralelo à realidade, realizando atividades cotidianas e se relacionando com usuários de todo o mundo. Hoje, o Second Life deixou de ser o maior ambiente virtual (posto atualmente ocupado pelo game World Of Warcraft), mas ainda é referência para entender um processo cada vez mais forte: a virtualização da nossa vida.

O “Fórum”, programa da TV Unesp, discute o assunto com o sociólogo e professor da Universidade Jaume Primeiro, da Espanha, Emílio Sáez Sôro. Além de explicar como a tecnologia interfere em nossa relação com o mundo, Emílio questiona a necessidade de separar a realidade do mundo virtual. “Nós, seres humanos, somos muito virtuais em nossa relação com o mundo e isso não podemos separar”, argumenta.
Fonte: TV Unesp

Deixe uma resposta