Por dentro do Retrate: Um reality show consciente

Da redação SICOM-PET, Daniele Fernandes

 

O Retrate é um reality show de fotografia que retrata questões sociais pertinentes na nossa sociedade. Produzido por alunos do curso de Rádio e TV da Unesp Bauru, e que conta com a participação de dois petianos. Para comemorar a estreia dessa segunda temporada, conversamos com um dos idealizadores, Grégory Damaso, sobre o programa e as novidades que estão por vir.

 

R: Como vocês chegaram à ideia de um reality de fotografia social?

GD: O Retrate surgiu no ano passado, fruto de um trabalho interdisciplinar da faculdade de Rádio e Tv. A proposta era realizar “apenas” um programa de Tv ao vivo, que abordasse temáticas sociopolíticas, mas o meu grupo, pensou na ideia de fazer um reality show e usar a final do programa para a avaliação, como programa ao vivo.

Com essa demanda e à vontade do grupo em usar nossos produtos para o debate social, elaboramos um formato de reality show que unia a crítica social à prática de fotografar.

A ideia do Retrate é, basicamente, 3 jurados propõem desafios aos participantes para serem realizados e avaliados posteriormente. Os jurados atribuem notas que, ao final, são somadas à curtidas no Instagram que o público dá às fotos dos competidores e definem o vencedor.

Assim surgiu a primeira temporada do Retrate, que teve 5 episódios (contando com a final ao vivo) que estão disponíveis no nosso canal do Youtube. Com a repercussão positiva e os bons resultados que a primeira temporada trouxeram, eu e mais dois membros do grupo original decidimos fazer uma segunda temporada como Trabalho de Conclusão de Curso. Melhoramos algumas coisas, ampliamos outras e elaboramos uma nova leva de episódios desse programa.

 

 

R: Você acredita que a fotografia é capaz de alterar realidades?

GD: Com certeza acredito que a fotografia é capaz de alterar realidades. Por ser uma linguagem essencialmente visual, muitas vezes a fotografia se torna universal, quebrando barreiras de língua e cultura. Isso traz uma poderosa vantagem para essa forma de comunicação, porque permite que realidades sejam retratadas e discutidas a partir das imagens.

Posso citar algumas fotografias mais famosas, como a menina do Vietnã, de Nick Ut, ou a criança subnutrida perto de um urubu, de Kevin Carter. São exemplos de como uma “simples” imagem fez o mundo refletir e debater sobre temas sociais.

 

 

R: Quais são as novidades dessa nova temporada?

GD: Na primeira temporada, selecionamos seis participantes e, destes seis, três são eliminados no primeiro episódio. Já na segunda temporada, começamos também com seis participantes mas desta vez eliminamos um por episódio. Na final, os participantes finalistas serão avaliados pelos jurados e também pelo público, que pode votar nos seus favoritos por meio de curtidas nas fotos do Instagram do programa, assim como na primeira temporada.

Além disso, o programa se expandiu. Neste ano, além do reality-show, temos outros dois complementos que enriquecem a experiência do público. Um é o Dicas Retrate, uma série de vídeos com dicas de fotografia e serão lançados junto com o reality. O outro é uma minissérie de mini-documentários. São curtas produções que aprofundam as questões sociais discutidas nas provas do reality-show e serão lançados 3 dias após o episódio da semana.

Nesta nova temporada também faremos mais o uso de outras mídias. Nessa temporada, além de usar o Facebook e o Instagram (@programaretrate) também usaremos outras formas de comunicação, como o Snapchat (programaretrate).

Por fim, uma das mudanças é a troca de uma das juradas. Nesta temporada a jornalista e ativista do movimento negro Greice Luiz substitui a professora doutora Loriza Lacerda.

 

 

R: Quais são os aprendizados que a galera da produção teve?

GD: Tanto na primeira temporada quanto na segunda, a experiência para quem produziu foi riquíssima. Especialmente nesta nova temporada, que envolveu mais de 30 pessoas na equipe, quase todas do curso de Rádio e Tv.

Primeiro, produzir três episódios de reality-show + três mini-documentários + quatro vídeos de dicas + uma final ao vivo não é nada fácil. Isso faz com que todos os membros da equipe enfrentem desafios da nossa área, o que é muito importante na hora de atuar no mercado, futuramente. É uma forma excelente de ganhar experiência, já que estão sendo feitos produtos bem distintos, cada um com suas particularidades. Isso acaba sendo um bom portfólio para os alunos envolvidos.

Além disso, tem a reflexão social que o programa nos traz. Apesar de estarmos por trás das câmeras, precisamos fazer pesquisa, aprender e, mesmo nas gravações, pensar sobre os temas abordados. É importante porque nos ajuda a enxergar uma realidade que muitas vezes não vemos ou que é diferente da que vivemos. Este processo é sempre libertador e queremos que o público, assim como os participantes, tenham esta experiência.

Por fim, acho que uma mensagem indireta que fica para nós que produzimos é essa: É possível produzir entretenimento responsável.

O que quero dizer é que podemos ver na prática que dá para fazer um produto que diverte e distrai, mas que, ao mesmo tempo, serve para incentivar o pensamento e a reflexão.

 

R: Chama o pessoal para assistir o reality aí:

GD: Galera, a segunda temporada do Retrate estreou no dia 2 e já está BOMBANDO!!! Vem conhecer os novos participantes, torcer pelo seu favorito e curtir as fotos dele no Instagram para ajudá-lo na final!

E tudo isso enquanto você pode aprender mais sobre temas que talvez não tenha muita afinidade, o que é sempre uma experiência enriquecedora. Além de, quem sabe, aprender um truque ou outro de fotografia que você não conhece!

A final vai ser dia 22 de novembro e você vai poder acompanhar ao vivo! E se você quiser, no mesmo canal tem a primeira temporada completíssima!

Deem uma olhada no primeiro episódio e chamem os amigos, a família, todo mundo porque a competição está só começando!

 

 

Daniele Fernandes

Daniele curte filmes e séries cult, e quando diz cult quer dizer coreano ou comédia romântica de Hollywood. Possui profundo conhecimento em economia, sabendo administrar suas famílias no The Sims 4.

Deixe uma resposta