Unesp promove 18ª Jornada Multidisciplinar

Departamento de Ciências Humanas FAAC – Divulgação


O evento reuniu palestras, pesquisas, apresentação de trabalhos e atividades culturais ao longo de três dias


Da redação SICOM-PET, Heloísa Manduca

 

A Unesp de Bauru promoveu a 18ªJornada Multidisciplinar – “Imagem, Pensamento e Cultura” entre os dias 29 de novembro e 1 de dezembro, na Faculdade de Arquitetura, Artes e Comunicação. O evento apresentou e discutiu pesquisas em cinema, fotografia, redes sociais, internet e jornais.

O convidado do primeiro dia do evento foi o professor Sérgio Rizzo da Universidade de São Paulo. Sérgio discutiu o tema “Cinema, Imagem e Cultura” e abordou sobre o modelo de cinema que foi implementado no mundo. “A história do cinema é a história do comércio. O modelo instalado é forte e jogou para escanteio outros modos de fazer cinema”, acredita o professor. 

 

Prof. Dr. Sérgio Rizzo (Créditos: Danielle Cassita)
Créditos: Danielle Cassita

 

Além disso, o professor trouxe a discussão de como as pessoas estão se comportando devido às facilidades das novas tecnologias. ”Devemos reconhecer que o cinema se transformou e como isso nos afeta. Alfred Hitchcock dizia que o cinema era esse manipulado por cerca de 2 mil pessoas em um mesmo lugar, mas, hoje, as salas não passam de 150 lugares. Vo também tem a facilidade de abrir um filme no seu celular, tablet ou notebook”, explicou. 

Já o segundo dia, contou com uma mesa redonda sobre o tema “Novas imagens de Gênero, Sexualidade na Cultura Contemporânea”. A convidada especial foi a professora Lídia Maria Possas da Unesp. Lídia trouxe a problemática da cultura de estupro dentro das universidades e a importância da desconstrução desse olhar sexista sobre a mulher. “O fato precisa sair do acontecido e passar para o lado político, ele precisa ser legitimado e ações devem ser tomadas”, salientou a professora.

 

Prof. Dra. Lídia Maria Possas (Créditos: Danielle Cassita)
À esquerda a Prof. Dra. Lídia Maria Possas (Créditos: Danielle Cassita)

Lídia coordena e desenvolve projetos de estudos de gêneros e de políticas públicas contra a violência. Segundo ela, as universidades brasileiras abafam casos de estupro que ocorrem.Desde 2004 eu venho observando denuncias de estudantes brasileiras em vários estados do Brasil e os dados da Avon foram inéditos. Quase 70% das mulheres brasileiras já sofreram violência de gênero nas universidades”, disse.   

 

Lídia finalizou com o clipe que faz parte do documentário “The Hunting Ground”. Ele aborda o tema do estupro nos campi das faculdades dos Estados Unidos

 

No último dia da Jornada foram expostos os trabalhos inscritos referentes a projetos de iniciação científica nas sessões de comunicação. Ao todo foram 13 sessões e cerca de 169 trabalhos apresentados. Também houve avaliação de painéis dos trabalhos de extensão da universidade.

 

Instituto Confúcio

Exposição Olhares sobre a China. (Créditos: Heloisa Manduca)
Exposição Olhares sobre a China. (Créditos: Heloisa Manduca)

 

Ao longo da Jornada Multidisciplinar, o Instituto Confúcio promoveu algumas atividades culturais. Dentre elas estavam a exposição fotográfica “Olhares sobre a China”, a oficina de corta de papel e nó chinês. Houve exibição de filmes chineses em parceria com o Cineclube da FAAC, apresentação de Kung Fu e Caligrafia chinesa. Finalizando com um Workshop sobre “Tecnologias e economia na China”.

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Apresentações do Instituto Confucio na Unesp. (Créditos: Danielle Cassita)


Veja também:

 

 

 

Wesley Anjos

Jornalista em formação, escritor e ator nas horas vagas. Típico amante das artes, é viciado em fabular e beber mate, não necessariamente nesta ordem.

Deixe uma resposta